sexta-feira, 8 de julho de 2011

Relatório do 2º Bimestre, conversas e mordidas

Hoje foi o dia de pegar as atividades do 2º Bimestre na escolinha do Lucas.
Ai que orgulho do meu filho toda mãe babona diz isso, e eu também! Fiquei muito satisfeita com o relatório individual dele. Cheio de elogios, mas também com a observação de que ele tem mordido e batido nos coleguinhas. Já desencanei nesse aspecto, tenho conversado muito com ele e as professoras também, então, como toda fase, essa vai passar rapidinho!
Então, hoje quero falar sobre dois assuntos relacionados ao Lucas e a escola. Primeiro sobre as conversas da professora com o Lucas.
Ontem eu e a madrinha dele fomos buscá-lo. Sempre que eu e ela vamos buscá-lo a gente faz assim: ela vai na frente, entra na salinha dele sem mim para ver a reação do pequeno. Ontem, como de costume, quando ele a viu ficou todo feliz, mas logo começou a chorar chamando por mim. Em resposta a reação dele a professora o chamou e disse que ele só sairia da sala depois que parasse de chorar, pois não havia motivos para o choro. Conversou calmamente, ele parou e ela o entrou um lenço de papel e pediu para que limpasse as lágrimas e fizesse cara de feliz, no que foi prontamente atendida. Eu não via cena, pois estava conversando com a mãe de um coleguinha (que será o próximo assunto abordado), mas a madrinha dele disse que nunca viu o Lucas obedecer tão bem como naquele momento. Diante de toda essa situação a dinda perguntou pra professora se o Lucas era a criança mais "custosa" da sala e a professora respondeu que sim, mas que isso aconteceu porque o Lucas, ao contrário da maioria das crianças da faixa etária dele, já formula frase e entende perfeitamente o que é dito a ele e, por esse motivo, também entende o que as pessoas estão falando ao redor. Ou seja, ele tem uma percepção madura (pra idade) em relação ao mundo que o cerca e, por isso, já contesta, argumenta e tenta reverter as coisas ao seu favor um pequeno manipulador. E a professora falou que temos que conversar com ele de forma firme, sabendo que ele nos entende, mostrando que quem está no controle da situação.
Pra falar a verdade, não sei se ainda consigo agir assim com ele. Às vezes na maioria eu acabo cedendo às suas "chantagens". Sei que não devo, mas tem horas que já estou tão cansada que tudo que eu quero é vê-lo parar de chorar e também às vezes não sei mesmo como agir. Sei que não estou agindo bem, tenho que trabalhar isso em mim, pois não quero ter um filho que acha que manda em tudo e que pode tudo. Meu Deus que coisa difícil essa de educar...
Agora, mudando para o outro assunto. Ontem, ao chegar na escolinha, fui me desculpar com uma mãe pelo fato de o Lucas ter mordido o filho dela. Ela, muito simpática, me tranquilizou, disse que isso é normal, que o filho dela também morde às vezes. E, coitada, veio me dizer que estava chateada porque os pais de uma outra aluna fez um auê na escola porque o filho dela havia mordido essa menina pela segunda vez. Ela disse que estava triste, pois esses pais agora nem a cumprimenta mais, que ela foi chamada para conversar com a psicopedagoga da escola e tals. Sabe? Fiquei chocada com a reação desses pais. Imagina se eu fosse chamada na diretoria toda vez que o Lucas mordesse alguém? Acho que teríamos sido expulsos da escola...
Acho que tudo tem que ter bom senso. Afinal, são bebês, eles estão se conhecendo, ainda são bem egoístas, na maioria das vezes não sabem como reagir às situações e acabam reagindo dessa forma. Eles não mordem por premeditação (apesar de eu achar que o Lucas está passando dos limites). Como mãe, sei o filho que tenho, sei que ele morde, que ele pode ser mordido (como foi e na última vez até se machucou) e não vou condenar o coleguinha quando isso acontecer. A mãe desse coleguinha do Lucas ficou indignada porque o filho dela foi mordido várias vezes quando entrou na escolinha e nem por isso ela virou a cara para a criança ou foi pra coordenação reclamar.
Também sei que muitas de vocês podem pensar "mas como as professoras não veem que eles estão se mordendo?", mas acredito que eles são super bem cuidados, só que é muito difícil tomar conta de 15 crianças, as 3 professoras não olhos nas costas e às vezes isso acontece mesmo. Elas trabalham de forma que eles não continuem agindo assim, mas impedir que isso venha acontecer é impossível.
Agora fica a pergunta: é justo condenar um bebê de menos de 2 anos por morder o colega?

2 comentários:

Vanessa Datrino disse...

Olá querida!
Encontrei vc na net.Não sei se já conhece nosso espaço e gostaríamos de te convidar a fazer parte.
Parabéns pelo filhote!
Bjinhos,
Vanessa Datrino
www.datrinodesign.blogspot.com

Vanessa Datrino disse...

Que bom que gostou do nosso cantinho e ficou por lá! :)
Seja bem vinda, tá?
Bjinhos,
Vanessa Datrino